SAÚDE SEXUAL DE HOMENS DE 25 A 59 ANOS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

Autores/as

  • Thais Cordeiro Parauta Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.
  • Jozeane Seabra Da Silva Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.
  • Giovanna Thayla Caetano De Lima Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.
  • Mariana Da Costa Conde Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
  • Bruna Lopes Saldanha Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
  • Adriana Lemos Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Palabras clave:

Salud del hombre, Sexualidad, Atención Primaria de Salud

Resumen

Objetivo: Conhecer as demandas do campo da saúde sexual de homens através do relato dos profissionais de saúde da Atenção Primária e identificar que ações são realizadas e direcionadas aos homens para atender suas demandas. Material e Método: Pesquisa descritiva com abordagem qualitativa cuja produção dos dados foi realizada com base em um roteiro semiestruturado aplicado a 17 profissionais referente à caracterização dos entrevistados, questões de conhecimentos gerais sobre saúde sexual e questões específicas sobre as demandas no campo da sexualidade dos homens dentro da faixa etária de 25 a 59 anos. O estudo foi realizado na Unidade de Estratégia Saúde da Família localizada na zona Sul do Rio de Janeiro, durante o período de Dezembro de 2016 a Janeiro de 2017. Utilizou-se a técnica de amostragem por saturação teórica para definir o total de entrevistados. Para o tratamento dos dados foi utilizada a análise de conteúdo por meio da técnica temática categorial, sistematizada pelo modelo de Oliveira. Resultados: As principais demandas dos homens referemse ao tratamento de infecções sexualmente transmissíveis (IST), impotência e a exames/procedimentos. As ações individuais constituem-se principalmente de consultas, orientações e solicitação de exames. Já em ações coletivas, a maioria é voltada para grupos que não são fechados aos homens. Conclusão: Por fim, a abordagem à sexualidade masculina ainda está reduzida aos termos das IST, medicalização e da ereção, sendo a sexualidade vista num padrão biomédico.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Publicado

2019-12-18

Cómo citar

1.
Cordeiro Parauta T, Seabra Da Silva J, Caetano De Lima GT, Da Costa Conde M, Lopes Saldanha B, Lemos A. SAÚDE SEXUAL DE HOMENS DE 25 A 59 ANOS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE. Cienc enferm [Internet]. 18 de diciembre de 2019 [citado 27 de noviembre de 2022];250. Disponible en: https://revistas.udec.cl/index.php/cienciayenfermeria/article/view/1313

Número

Sección

Investigaciones